Quanto custa um colaborador para empresa?

Quanto custa um colaborador para empresa?

Os custos de um colaborador para uma empresa, é um dos pensamentos que estão constantemente na mente do empreendedor. São muitas contas a pagar e esta precisa estar bem alinhada para não haver prejuízos. 

Manter um colaborador ou realizar uma contratação, envolve diversos fatores. Os motivos também podem variar, seja por um posto de trabalho que ficou vago, novas funções que sua empresa precisa para o crescimento, dentre outros. 

Mas, o que não se pode abrir mão, é da estratégia que será adotada, pensando no investimento que será feito, e todas as etapas que este colaborador passará dentro da empresa. 

A contratação de um novo colaborador, vai muito além do salário, por isso deve ser pensado cautelosamente, em todos os valores. 

Entretanto, muitos gestores não têm o conhecimento a respeito do cálculo que deve ser feito, pensando nisso, reunimos aqui, as informações que você precisa saber para não ter problemas financeiros com a gestão financeira. 

Aproveite a leitura! 

Veja também: Como fazer o controle dos custos e despesas de uma empresa

Como saber o custo de um colaborador? 

Antes de entender o custo de um colaborador, é necessário lembrar de alguns pontos como por exemplo: não é apenas o valor do seu salário que deve ser contabilizado. Além disso, no Brasil existe a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). 

Que são leis que regularizam todas as relações trabalhistas, e também diversas obrigações e tributações ligadas à contratação de um funcionário. 

Enquadramentos diferentes 

O regime tributário que a empresa se enquadra é bem importante no momento de calcular o valor de cada funcionário da empresa, já que para cada regime, existem encargos trabalhistas que devem ser contabilizados. 

Os regimes de tributação que as empresas estão enquadradas são: 

  • Simples Nacional (Exceto Anexo IV)
  • Simples Nacional (Anexo IV)
  • Lucro Presumido ou Lucro Real 

Nestes regimes existem diferentes categorias de custos: 

  • Custos diretos, são os pagos diretamente ao funcionário, como por exemplo, o salário, comissão e ainda os benefícios pagos pela empresa. 
  • Custos com o governo, são os valores exigidos por lei, e que são recolhidos. 
  • Custos com benefícios, são aqueles que são feitos em acordo com sindicatos e coletivos, podendo variar de acordo com as categorias dos funcionários. 

Como calcular quanto custa cada colaborador? 

Para calcular quanto custa cada colaborador uma conta precisa ser feita, e para realizar este cálculos deve ser levado em conta o regime que se encontra a empresa. 

Para te ajudar neste momento de entender as contas, vamos utilizar o exemplo de um funcionário que o valor do seu salário é de R$1.000,00 (mil reais). 

Para facilitar a compreensão vamos separar os exemplos por regime tributário: 

Empresas que são Simples Nacional (Exceto Anexo IV) 

Para as empresas que escolhem o regime do Simples Nacional os encargos a serem pagos em relação a um salário de R$1.000,00 são: 

  • FGTS: R$ 80,00 (8%)
  • Férias: R$1.000,00
  • ⅓ das férias: R$333,33
  • 13º salário: R$1.000,00
  • FGTS anual: R$ 186,67 (8%)
  • Vale-refeição: (variando de acordo com a categoria): R$10,00 por dia = R$220,00 mensal 
  • Vale-transporte: (variando de acordo com a categoria): R$8,00 por dia = R$176,00 mensal 
  • Provisão mensal: (férias, ⅓ de férias, 13º e 8% de FGTS anual) dividido por 12 meses: R$210,00

Total bruto: R$1686,00 

O cálculo que deve ser feito,levando em conta a contribuição do colaborador: 

  •  INSS: 8% (no caso do exemplo: R$80,00)
  • Vale-transporte: 6% (no caso do exemplo: R$60,00)

Total com os descontos: R$1.546,00

Ou seja, um colaborador que recebe um salário de R$1.000,00, custa na verdade R$1.546,00 para a empresa. Este funcionário possui um custo adicional de 54% ao salário que recebe. 

Empresas enquadradas no Simples Nacional (Anexo IV)

Já no sistema de empresas que estão dentro do Simples Nacional (Anexo IV), a mudança ocorre no valor que será descontado do INSS, sendo que neste caso o valor é de 20%. Além disso, um valor que pode variar entre 1% a 3% é descontado para o Seguro Acidente do Trabalho (SAT). 

Com o desconto de 20% somado a SAT (por exemplo 2%) o salário será um total de R$1.762,00, ou seja, um custo de 76,2% a mais ao salário do colaborador. 

Empresas que possuem Lucro Presumido ou Lucro Real 

No caso das empresas que são do regime do Lucro Presumido ou Lucro Real, seguem o mesmo sistema do Simples Nacional (Anexo IV), mas é acrescentada a alíquota de terceiros, que financia redes de serviços sociais: SENAI, SESI e SESC. 

E este valor varia de acordo com o tipo de empresa. 

A importância do planejamento 

Sendo que com estes gastos é necessário que seja realizado o planejamento de gastos com funcionários, independente do número de colaboradores que a empresa terá. 

Além de mostrar o valor de quanto está custando a cada funcionário, com o planejamento estratégico, é possível perceber em análise com outros dados financeiros, o quanto seus funcionários estão trazendo resultados

Outro ponto importante do planejamento é avaliar novos contratos ou também, um corte de funcionários, em situações que sejam necessárias. Mas tenha sempre os objetivos claros, para avaliar as necessidades de contratação ou mesmo a quebra de contrato, para que nada saia do controle. 

Gostou do nosso conteúdo sobre o custo de um colaborador para uma empresa? No nosso blog temos muitos outros materiais, que podem ajudar no crescimento de sua empresa, como por exemplo como abrir uma microempresa

Além disso, nos siga nas redes sociais e acompanhe nosso conteúdo, no Facebook e no Instagram você encontrará dicas e atualizações sobre o mercado empresarial. 

Comentários